AM é terceiro no ranking de desempenho e monitoramento de cursos técnicos

O desempenho do Regional Amazonas do Senai foi superado apenas pelo Senai de São Paulo e Santa Catarina, que confirmaram aproveitamento de 89,7% e 83,4%,

Fonte: acritica.com Manaus (AM)

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Amazonas) conquistou o 3º melhor desempenho de estudantes e monitoramento dos cursos técnicos entre todos os departamentos regionais do país. A instituição recebeu 83,3% de nível adequado e avançado pelo Sistema de Avaliação da Educação Profissional e Tecnológica (Saep 2016). A meta nacional estabelecida pelo Departamento Nacional era de 73%.

O desempenho do Regional Amazonas foi superado apenas pelo SENAI de São Paulo e Santa Catarina, que confirmaram aproveitamento de 89,7% e 83,4%, respectivamente.

As Escolas SENAI Antônio Simões, localizada no Distrito Industrial, e a Escola SENAI Waldemiro Lustoza, do bairro Cachoeirinha, participaram da avaliação com 293 alunos e 76 docentes dos cursos técnicos em Eletrônica, Administração, TI-Informática, Automação Industrial, Mecatrônica e Mecânica.

Nos resultados gerais de grande desafio e desempenho dos cursos, o Departamento Regional Amazonas ficou em primeiro lugar, com 100% de metas atendidas nos cursos técnicos em Eletroeletrônica, TI-Informática, e Mecatrônica.

“Este resultado é fruto do trabalho de todos os profissionais do SENAI/AM, que se envolveram diretamente na disseminação do ensino profissional, influenciando e motivando os alunos da instituição a terem mais empenho, comprometimento e esforço ao participarem de avaliações. Agora, nosso desafio será manter este patamar de qualidade que foi conquistado e, com certeza, temos ampla condição de conseguir”, disse o diretor regional do SENAI Amazonas, Rogério Pereira.

Na edição de 2016, o SENAI Nacional avaliou 49 cursos técnicos, mapeando o desempenho de 41.396 estudantes, 10.055 docentes e 579 gestores responsáveis pelas escolas SENAI que ministram cursos técnicos.

Dos 49 cursos, os 15 de maior procura e oferta na Rede SENAI são Mecânica, com 14,7%, Eletrotécnica, com 10,5%, Segurança do Trabalho com 9%, Eletromecânica com 7%, Edificações, Eletroeletrônica e Automação Industrial, ambos com 5,8%, Mecatrônica com 5,2%, Logística com 4,4%, Administração 3,5%, Manutenção Automotiva 3,2%, TI-Informática com 3%, Química e TI-Redes de Computadores com 2,6%, e Eletrônica com 1,9%.

Mecatrônica

A mecatrônica é uma atividade industrial complexa que envolve tecnologia mecânica, eletrônica e de programação de computação. Essa ocupação é bastante demandada pelo mercado de trabalho da capital amazonense. O SENAI atende este segmento com a oferta do curso técnico em mecatrônica na Escola Antônio Simões, unidade que qualifica profissionais para a indústria eletroeletrônica do Polo Industrial de Manaus (PIM) e que hoje oferece 10 cursos técnicos.

Segundo o gerente da escola, José Nabir, a coordenação de educação atuou fortemente no acompanhamento do ensino/aprendizagem dos alunos, na preparação de docentes e na infraestrutura laboratorial com tecnologias atualizadas e modernas embarcadas nos laboratórios, entre outras ações.

“O trabalho em equipe implementado em nossa escola e em todo o SENAI Amazonas culminou para o destaque do Regional a nível nacional. Criamos situações de aprendizagem, por meio de simulações e software que facilitam a compreensão das tecnologias envolvidas nos cursos oferecidos pela instituição, fortalecendo ainda mais a Metodologia SENAI de Educação Profissional”, explicou Nabir.

O instrutor de mecatrônica, Marcos Lima, revelou que os técnicos em mecatrônica tem um perfil amplo de conhecimentos devido à versatilidade das unidades curriculares aprendidas nas 1,2 mil horas do curso técnico.

“Um técnico em mecatrônica é um profissional mais robusto por ter passando por um abrangente aprendizado, capacitando-o a desenvolver atividades nas áreas de mecânica, elétrica, manutenção e programação”, disse Lima, ressaltando que há dois perfis de alunos neste curso, sendo jovens que estão cursando ou desejam cursar uma graduação nas áreas de engenharia, e outros alunos que visam à inserção no mercado de trabalho com a vantagem de ser um profissional qualificado pelo SENAI que é referência nesta formação.

Deixe uma resposta